Digital e real, on e offline. Os limites entre uma esfera e outra estão cada vez mais tênues. Seus consumidores acordam e checam os e-mails antes mesmo de sair da cama, passam o dia conversando com amigos distantes geograficamente, consultam a internet para decidir o restaurante do final de semana, o próximo curso de pós-graduação e o próximo imóvel.

Para a maioria das empresas, ignorar o crescimento da web é impensável. Com tantos consumidores online, virar as costas para essa ferramenta é virar as costas para centenas de oportunidades. Mas, será que sua empresa se encaixa nesse grupo?

Antes de investir em marketing digital, é natural que surjam algumas dúvidas. Afinal, será que vai valer a pena? Com o andar da carruagem – ou dos bytes – é quase certo dizer que sim. E não apenas pela conveniência, abrangência e custo relativamente baixo. O marketing digital inaugurou uma nova esfera do marketing que não pode passar despercebida.

Inbound Marketing

Antes de irmos direto ao assunto, eis um conceito que você deve conhecer. Inbound Marketing é uma evolução das ações de marketing que surgiu e foi viabilizada principalmente graças ao crescimento da web. Ela consiste em criar uma estratégia focada em conteúdo de qualidade, que, em vez de empurrar produtos para o consumidor, o conquista aos poucos. É a arte de fazer com que seus clientes se interessem e se apaixonem por você; e não que sejam expostos aos seus produtos, serviços e publicidade contra sua vontade.

Exemplos de Inbound Marketing são os blogs corporativos que falam sobre assuntos variados de interesse do público e as redes sociais divertidas, instrutivas e úteis. Postagens e textos que realmente fazem a diferença na vida dos clientes e, entre uma linha e outra, vendem sutil e convenientemente os seus produtos e serviços.

As estratégias tradicionais de divulgação, hoje chamadas de Outbound Marketing, podem ser bem ilustradas pelas incômodas ligações de telemarketing, listas de e-mails pagas e mal-elaboradas, spams e pop-ups – quem não se lembra deles?

Essas e outras ações consideradas mais invasivas estão gradualmente perdendo seu espaço à medida que a web avança e, com ela, o Inbound. Não é à toa que gigantes como Google e Facebook se baseiam, fundamentalmente, nesse novo formato convenientemente posicionado e direcionado para públicos qualificados.

Agora que você já conhece uma das faces de maior destaque do marketing digital, é hora de responder algumas perguntas básicas, que vão ajudar você a descobrir que esse é, de fato, o melhor caminho para a sua empresa. Preparado?

1. Como funcionam as vendas na sua empresa?

Elas podem acontecer de diversas formas. Existem empresas B2B e B2C, que vendem serviços ou produtos, que exportam ou não, entre outros fatores.

Antes de optar por investir pesado no marketing digital, analise se sua empresa pode, realmente, se beneficiar dele. Se você, por exemplo, possui uma empresa que recicla peças antigas de computadores e suas negociações acontecem, em sua maior parte, com uma lista curta de empresas e executivos do ramo, sem interesse em um público mais amplo, talvez um bom site seja o suficiente para você.

Por outro lado, se você vende computadores feitos com peças recicladas para o público e para empresas em geral, ficar fora da web é impensável. Basta pensar nos consumidores que, antes de optar por um produto, pesquisam no Google – hoje em dia, seria seguro dizer que quase todos o fazem. E se eles não encontrarem seu site? Se não puderem seguir suas redes sociais? E se o seu anúncio não estiver nestes canais, e os do concorrente sim?

2. Quem é o seu consumidor?

A web é um meio bem amplo e quase todos estão online – quase. Antes de optar pelo marketing digital, pesquise os hábitos do seu consumidor. Ele tem perfil nas redes sociais? Ele usa os buscadores? Ele confia mais ou confia menos em empresas que não têm site?

Pesquise, deixando de lado aquela imagem clichê dos usuários da internet: jovens antenados, modernos, inseparáveis de seus smartphones. A web está cada vez mais acessível e ganha adeptos de todas as idades, de ambos os sexos, de todas as classes econômicas, em todo lugar.

Se você vende produtos para a teceira idade e acha que não precisa estar online porque grande parte dos idosos não está, por exemplo, muito cuidado: apesar de ainda serem uma minoria, de fato, eles estão lá. E não somente eles: seus filhos, netos, amigos.

Hoje, são poucos os públicos que não são influenciados direta ou indiretamente pela web. Por isso, analise, mas analise com cuidado. Mantenha a mente aberta para as oportunidades.

3. Qual é o seu produto ou serviço?

Eles são poucos, mas existem produtos e serviços complicados de serem vendidos via internet. É o caso de profissionais da saúde, como psicólogos ou fisioterapeutas: embora as ferramentas para um atendimento online existam, é muito melhor atender os pacientes pessoalmente. Para alguns produtos, acontece o mesmo. Às vezes, embora a venda seja possível, ela não é vantajosa devido a custos ou dificuldades de logística, produtos feito sob medida ou vendidos sob prescrição médica, por exemplo.

Mas, se você analisar todos estes fatores e chegar à conclusão de que a internet não é um bom canal de venda, calma: não a descarte totalmente. Em muitos casos, um e-commerce não é vantagem, mas é importante estar presente na web da mesma forma. Voltamos à clínica de psicologia. Mesmo que não seja possível realizar todo processo de compra e venda pela internet, ter um site e uma presença forte nas redes sociais, com conteúdo relevante, ajuda a divulgar e aumentar a credibilidade da marca – o que ajuda a aumentar as vendas offline.

4. É interessante cultivar o relacionamento com seus consumidores?

Uma das grandes vantagens do marketing digital é esta: relacionamento. Com uma boa estratégia, você conquista seus clientes através de conteúdo relevante e um bom atendimento online e mantém esse relacionamento com a frequência de postagens e acesso facilitado aos seus canais de atendimento (site, redes sociais, e-mail, entre outros).

Se você acredita no valor do relacionamento e deseja ter seus clientes próximos, o marketing digital pode ser a solução perfeita.

5. O investimento é interessante para você?

Ao contrário de anúncios em TV, rádio ou meios impressos, a publicidade online tem um custo bem flexível, o que a torna uma boa ferramenta para empresas de porte menor também. Hoje, existem opções de anúncios em redes sociais e buscadores com investimento a partir de 5, 10, 50 reais por dia, por exemplo. Com o auxílio de um profissional da área, essas campanhas podem ser extremamente rentáveis e o melhor: totalmente mensuráveis, uma vez que seus dados costumam ser fornecidos pelas empresas.

Outra vantagem importante é o conteúdo. Um bom conteúdo funciona tão bem quanto anúncios: ele será acessado, compartilhado e levará sua marca mais longe. Investindo na contratação de profissionais da área, você terá uma ferramenta importante para a construção de relacionamento e divulgação da sua marca, sem custos para a veiculação em si.