As mídias sociais provocaram mudanças profundas no mundo em poucos anos. Afetando individualmente bilhões de pessoas e coletivamente nações inteiras, impulsionaram mudanças sociais e culturais, afetando hábitos de consumo e a maneira como conduzimos nosso dia-a-dia. De maneira geral, comportamentos foram moldados por nossa interação social, principalmente com o advento dos smartphones e tablets.

Essas mudanças ainda são alvo de inúmeros estudos, pois a rapidez com que ocorrem dificulta sua observação e análise: se uma pesquisa demorar muito, uma nova mudança sobrevém e os resultados anteriores perdem sua validade. Por esse motivo, muitos comportamentos ainda não são bem compreendidos. Como exemplo, pode-se mencionar a gigantesca evasão dos jovens das redes sociais, com o Facebook perdendo cerca de 1/3 de seus usuários adolescentes no período de um ano. Embora pareça haver movimentos migratórios, como demonstra o crescimento da rede Instagram no mesmo período, existe ainda grande dificuldade em se compreender por completo e até mesmo prever os rumos das mídias sociais.

Ainda assim, alguns movimentos apontam para algumas mudanças significativas no ano de 2015, das quais destacaremos a seguir as mais notáveis:

Maior integração com e-commerce

Se por um lado o ano iniciou com uma nova restrição às publicações orgânicas de cunho promocional a vendas pelo Facebook, por outro, as receitas com anúncios e promoção de publicações da gigante social vão bem, obrigado. As mudanças anunciadas, que restringem o alcance das publicações de páginas corporativas com ofertas de vendas, na verdade tem o objetivo de profissionalizar ainda mais os serviços de promoção através dos posts sociais.

Mas não é só! Através de capturas de telas hackeadas, descobriu-se que o Facebook tem planos de adicionar funcionalidades de pagamentos e transferências de fundos em seu aplicativo Messenger, em um sistema nos moldes do PayPal. Se forem comprovadas, fica evidente a intenção do Facebook de ingressar no mundo dos pagamentos online, como já fez a Apple com seu recente sistema Apple Pay. Prevê-se que o Facebook vá integrar facilidades para a compra com 1-click, diretamente através das publicações. E o Twitter, com seu alcance rápido e dinâmico, pode se tornar uma plataforma de lançamento de promoções-relâmpago, com a possibilidade da mudança do foco das compras online cuidadosas, resultantes da comparação exaustiva de preços e condições pelo imediatismo da compra por impulso.

Dispositivos inteligentes… mais inteligentes

Relógios, balanças, pulseiras e até geladeiras inteligentes. Esse é um cenário que já vem tomando forma há alguns anos. Mas espera-se que em 2015, a Internet das Coisas passe a contar com dispositivos mais inteligentes ainda, que saibam como tirar proveito das redes sociais. Assim, passam a entender seus hábitos, a conhecer sua agenda de programações e a observar o que ocorre com seus contatos para serem capazes de auxiliá-lo, de fato, nos desafios do dia-a-dia.

Novos players, novos desafios

Entre os grandes desafios das mídias sociais estão as preocupações com privacidade e o excesso de informações criando mais dificuldades do que trazendo benefícios. Nesse sentido, novas redes sociais vêm surgindo, procurando ocupar nichos e atender aos clamores dos usuários em relação às deficiências percebidas pelos usuários dos atuais serviços.

Nesse sentido, o próprio Facebook já anunciou a criação de salas de chat realmente anônimas, baseadas em interesses comuns. Ao mesmo tempo, anunciou suporte oficial ao Tor, um serviço aberto para tornar a atividade online realmente anônima.

O que realmente chama a atenção é o fortalecimento de redes sociais centradas em interesses, ao invés do estilo Facebook, centrado em pessoas e suas relações. São serviçoes que atuam em nichos específicos mas que permitem a aproximação de pessoas com interesses comuns.

As possibilidades para 2015 são inúmeras e, como tudo que diz respeito às mídias sociais, difíceis de prever e calcular. Entretanto, as oportunidades existentes são reais e contam desde já com as ferramentas apropriadas. Portanto, embora seja difícil de anteceder todas as movimentações que podem ocorrer durante o ano, fica fácil de se observar que existem chances reais e palpáveis de sucesso para quem souber aproveitar os nichos que surgem no momento certo.

Veja exemplos de uso das mídias sociais nesta palestra:

“Como criar uma máquina de prospeção e aquisição de novos clientes”

prospecção e aquisição de clientes

[epico_capture_sc id=”1976″]